Tipos de alergias

As alergias são classificadas em alergias mediadas por IgE e não mediadas por IgE.

Alergia mediada por IgE

Na alergia mediada por IgE, o sistema imunológico produz grandes quantidades de uma classe de anticorpos conhecidos como anticorpos IgE, que são específicos para o alérgeno agressor em particular. Esses anticorpos IgE se ligam à superfície das células do corpo chamadas de “mastócitos”, que se tornam sensibilizados por IgE. Essas células podem então identificar alérgenos específicos na próxima vez que entrarem em contato com o corpo. Este processo é chamado de sensibilização e, nesta fase, não há sintomas de uma alergia.

Os mastócitos estão presentes na pele, olhos, nariz, boca, garganta, estômago e intestinos. Na próxima vez que entrarmos em contato com o mesmo alérgeno, os mastócitos o identificarão como inimigo e produzirão histamina e outros produtos químicos. A liberação dessas substâncias pelos mastócitos induz os sintomas alérgicos. No nariz, a liberação de histamina resulta em sintomas de nariz escorrendo, coceira no nariz e espirros, que são comumente associados a olhos vermelhos com coceira.

Na pele, os sintomas incluem vermelhidão e erupção na pele. Nos tubos de respiração, as alergias causam sibilos, tosse e falta de ar, enquanto nos intestinos podem ocorrer sintomas como desconforto abdominal, náuseas, vômitos e diarreia. As reações alérgicas graves também são conhecidas como anafilaxia, e pode ser fatal.

Alergia não mediada por IgE

Acredita-se que as reações não mediadas por IgE, que são mal definidas clínica e cientificamente, sejam mediadas por células T. Esse mecanismo está relacionado a distúrbios como o eczema de contato (dermatite alérgica de contato). Enquanto os sintomas das alergias mediadas por IgE ocorrem rapidamente e logo após a exposição ao alérgeno, esse pode não ser o caso com alergias não mediadas por IgE, onde os sintomas podem aparecer muito mais tarde, geralmente 24-48 h.

Resposta aguda: isso é o que geralmente chamamos de alergia. A reação imediata ocorre dentro de 15 a 30 minutos após a exposição ao alérgeno. Durante a fase inicial, os mediadores químicos da reação liberados pelos mastócitos, incluindo histamina, prostaglandinas, leucotrienos e tromboxano, produzem respostas locais nos tecidos, características de uma reação alérgica. No trato respiratório, por exemplo, isso inclui espirros, edema e secreção de muco, com vasodilatação no nariz, levando à obstrução nasal, e broncoconstrição no pulmão, causando sibilância.

Resposta da fase tardia: Ocorre de 4 a 6 horas após o desaparecimento dos sintomas da primeira fase e pode durar dias ou até semanas. Durante a reação de fase tardia no pulmão, a infiltração celular, a deposição de fibrina e a destruição do tecido resultante da resposta alérgica sustentada levam ao aumento da reatividade brônquica, edema e posterior recrutamento de células inflamatórias. Essas observações sugerem que a IgE é fundamental na resposta do sistema imunológico aos alérgenos em virtude de sua capacidade de desencadear a liberação do mediador de mastócitos, levando diretamente às reações de fase inicial e tardia.

GAAPP_Allergy

 

Quais elementos estão envolvidos na reação alérgica:

Alérgeno Geralmente uma proteína, que pode gerar uma reação alérgica.

Imunoglobulina (IgE) Anticorpo envolvido em reações alérgicas.

Mastócito São células do sistema imunológico que se localizam na pele, no trato respiratório e no trato digestivo. As moléculas de IgE estão ligadas à sua superfície. A histamina e outros mediadores são produzidos pelos mastócitos, que são liberados durante a reação alérgica que induz sintomas alérgicos.

histamina É armazenado dentro dos mastócitos e liberado durante a reação alérgica. Tem a capacidade de dilatar os vasos sanguíneos (vasodilatação), aumentar a permeabilidade dos vasos sanguíneos (vazamento de fluido) e estimular os nervos. Isso resulta em vermelhidão, inchaço e coceira.